O Liberdade

Previsão do Tempo

Campo Grande
+29°C
Grupo Liberdade
Segunda-feira, 20 de novembro de 2017
 
21/08/2017 10h21 - Atualizado em 21/08/2017 10h21

Veterinário Francisco está na CPI do IMPCG para dar respostas aos campo-grandenses e elucidar o rombo na previdência municipal

Da redação
 
 
Vereador Veterinário Francisco é membro da CPI do IMPCG Vereador Veterinário Francisco é membro da CPI do IMPCG

A Câmara Municipal de Campo Grande instaurou na semana passada uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para apurar indícios de irregularidades que teriam sido cometidas no IMPCG (Instituto Municipal de Previdência de Campo Grande).

O colegiado é composto pelos vereadores Hederson Fritz Morais da Silveira (presidente), Enfermeira Cida Amaral (relatora), Pastor Jeremias Flores, Veterinário Francisco, André Salineiro e Valdir Gomes. As atividades da CPI serão realizadas no prazo de 120 dias, podendo ser prorrogadas.

Os vereadores vão investigar denúncias de má gestão ocorridas no período entre os anos de 2012 a 2016, ocasião em que levou o Instituto à ineficiência financeira, dentre as quais estão apontadas no Relatório da Comissão de Acompanhamento da Reestruturação do IMPCG, conforme consta no requerimento para a criação da CPI.

‘’Compartilhamos o início de mais uma vitória para o município, pois sei que com o decorrer dessa CPI vamos descobrir o que aconteceu com o dinheiro e responder todas as dúvidas dos campo-grandenses. Vamos elucidar esse rombo milionário na previdência municipal’’, comentou o vereador Veterinário Francisco.

O documento que culminou na criação da Comissão Parlamentar de Inquérito, de 51 páginas e dezenas de anexos, foi elaborado com base nos seis meses de trabalho no colegiado, que identificou uma série de irregularidades no instituto, responsável pela gestão da previdência do funcionalismo público municipal.

De acordo com o documento, o chefe do executivo da época, teria reduzido o saldo do fundo do IMPCG de R$ 110,6 milhões para R$ 11,5 milhões.

No relatório, o caso é tratado como "suposto calote na previdência dos servidores municipais durante a administração compreendida entre os anos de 2013 a 2016", onde o município deixou de repassar integralmente, tanto cotas patronais quanto das contribuições dos servidores, ensejando desfalques nas contas do Instituto, seja por atraso ou supressão de repasses.

Desenvolvimento

O vereador veterinário Francisco participou de uma reunião na prefeitura de Campo Grande, com a diretora-presidente da Planurb (Agência Municipal de Planejamento Urbano), Berenice Maria Jacob, e o secretário da Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano), José Marcos da Fonseca, para revisar o Plano Diretor 2017.

"Juntos buscamos o desenvolvimento urbano para nossa capital", declarou o Parlamentar do PSB ao término da reunião.​



Envie seu Comentário

Este material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído.
Copyright 2014 © O Liberdade - Todos os direitos reservados. By Bimboo Software

Expediente | Anunciar no site | Trabalhe Conosco | Reportar Erro