O Liberdade

Previsão do Tempo

Campo Grande
+29°C
Grupo Liberdade
Quinta-feira, 13 de dezembro de 2018
 
25/10/2018 10h33 - Atualizado em 25/10/2018 10h33

Ponte sobre o Rio Paraguai em Porto Murtinho fica para 2019

Andre Farinha
 
 

A ponte sobre o Rio Paraguai, que ligará a cidade de Porto Murtinho até Carmelo Peralta, no país vizinho, deve ter suas obras iniciadas somente no segundo semestre do próximo ano. A expectativa é que o presidente Michel Temer (MDB), em seus últimos atos frente ao Governo Federal, assine nas próximas semanas um acordo com o Paraguai para a construção da obra. Segundo as informações, o custeio do projeto será bancado integralmente pela Hidrelétrica de Itaipu Binacional. A ponte é importante para a Rota Bioceânica, que ligará Brasil, Paraguai, Argentina e o Chile.

Há alguns dias, Temer conversou por telefone com o presidente do Paraguai, Mário Abdo, e trataram de avanços na construção de duas pontes que estão projetadas na região de fronteira entre os dois países. Além da ponte em Mato Grosso do Sul, há ainda uma que ligará a cidade paranaense de Foz do Iguaçu a Presidente Franco, avaliada em R$ 280 milhões e que deve ter a ordem de serviço assinada já neste ano, devendo ficar pronta até 2021/2022.

De acordo com o ministro da Secretaria de Transportes, Valter Casimiro, a ponte em Porto Murtinho não tem o projeto de execução pronto. "Tem de contratar. Na verdade, vamos viabilizar os recursos dentro desse acordo para o Paraguai, fazer o projeto e consequentemente realizar a obra. Como não foi feito o projeto, fica prematuro falar em recursos para a ponte de Porto Murtinho.", disse.

As pontes, tanto a de Porto Murtinho quanto a de Foz de Iguaçu, serão ser financiadas pela hidrelétrica de Itaipu, que é binacional. "A parte brasileira de Itaipu, chamada de margem esquerda, bancará integralmente a ponte de Foz do Iguaçu. A parte paraguaia, a margem direita, bancará integralmente a ponte Porto Murtinho-Carmelo Peralta.", explicou o Ministro de Governo, Carlos Marun.

As duas obras foram incluídas no esforço do Governo Federal intitulado ‘Desafio Chave de Ouro’, referente ao encerramento da gestão, e que deseja nesta reta final iniciar, concluir ou avançar ao menos 20 obras. Para tal, foram remanejados R$ 1 bilhão, que estavam previstos para outros projetos que não receberiam o recurso ainda este ano. O Anel Rodoviário de Campo Grande também está dentro destes 20 projetos em execução.



Envie seu Comentário

Este material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído.
Copyright 2014 © O Liberdade - Todos os direitos reservados. By Bimboo Software

Expediente | Anunciar no site | Trabalhe Conosco | Reportar Erro