O Liberdade

Previsão do Tempo

Campo Grande
+29°C
Grupo Liberdade
Segunda-feira, 18 de junho de 2018
 
20/12/2017 11h44 - Atualizado em 20/12/2017 11h44

Ferrovia encurtará em quase um mês trajeto da metade das exportações de MS

Da redação
 
 
Integração do modal ferroviário permitirá maior lucratividade aos produtores e aumento na competitividade da produção sul-mato-grossense.

Integração do modal ferroviário permitirá maior lucratividade aos produtores e aumento na competitividade da produção sul-mato-grossense.

O projeto de integração do modal ferroviário brasileiro e boliviano com saída para o Oceano Pacífico reduzirá em até 25 dias o trajeto percorrido pelas exportações sul-mato-grossenses, destacou o governador Reinaldo Azambuja ao participar na tarde desta terça-feira (19.12) da apresentação do projeto da Ferrovia TransAmericana, no auditório da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico (Semagro), em Campo Grande.

"Pela primeira vez a gente tem algo bem desenhado, numa conexão que encurta de 20 a 25 dias o tempo que a nossa carga leva para se conectar aos países asiáticos, que representam 50% das nossas exportações", detalhou. Com o encurtamento de 20 mil km de distância no trajeto marítimo, aumenta a competitividade da produção de grãos, celulose, carne e todos os demais produtos do Estado, além de diminuir o custo das importações.

"Vamos caminhar 1,5 mil quilômetros em ferrovias, mas vamos ganhar 20 mil de frete marítimo", reforçou o governador. Ele destacou ainda que o estudo de viabilidade do projeto já foi feito e a demanda de cargas do Estado contribuiu para atrair investidores. O próximo passo é o pedido à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para ampliação da concessão da empresa Rumo, que opera a malha oeste do Estado. No processo, será incluído o consórcio que contempla as demais investidoras do projeto. "Não tenho dúvida de que teremos uma ferrovia competitiva passando por MS", adiantou o governador.

A apresentação do projeto foi feita pelo coordenador do projeto Ferrovia Transamericana, Daniel Rossi, que agradeceu o empenho do Governo desde a idealização ao processo de implantação do projeto. "Para mim a malha oeste sempre foi palco de uma solução de longo prazo e nosso compromisso junto ao Estado foi o pacto de desenvolvimento que permitiu uma série de oportunidades que hoje nos trouxeram a esse projeto, cujo maior parceiro sem sombra de dúvida é Mato Grosso do Sul", afirmou.Secretário da Semagro, Jaime Verruck, destacou que a obra é um projeto de longo prazo e a prorrogação da concessão – que duraria mais oito anos e deverá ser estendida por mais 30 – é o próximo passo. "O transporte ferroviário é sempre mais econômico que o rodoviário e nós diminuiríamos a pressão nas nossas rodovias e teríamos pontos de carga, com produtos carregados em Corumbá, Campo Grande, Três Lagoas, funcionando como um eixo de desenvolvimento de Mato Grosso do Sul", detalhou. 

Participaram também da apresentação do projeto da ferrovia os deputados estaduais Rinaldo Modesto e Enelvo Felini; secretários de Desenvolvimento de Três Lagoas e Corumbá; além de diversas autoridades e representantes do setor. 

Reforço na frota

Na chegada do evento, o governador Reinaldo Azambuja fez a entrega de um jipe Agrale Marruá ao comandante do Corpo de Bombeiros Militar, coronel Esli Ricardo de Lima. Adquirido com recursos de compensação ambiental, o veículo auxiliará no combate a incêndios florestais em locais de difícil acesso. 

Chefe da Divisão de Proteção Ambiental dos Bombeiros Militares, o tenente-coronel Waldemir Moreira, destacou os benefícios do veículo para o trabalho da Corporação, visto que em alguns locais nenhum outro consegue chegar – como ocorreu no incêndio do Parque Estadual das Várzeas do Ivinhema, em outubro deste ano, quando vários trechos tiveram de ser percorridos a pé pelos militares porque nem as caminhonetes com tração tinham acesso.

Além do combate ao fogo, o jipe será utilizado também em operações envolvendo alagamentos, comuns em algumas regiões do Estado no período das chuvas. "Não equipamos o veículo somente com equipamento de combate a incêndio porque iremos otimizar seu uso em diversas situações durante o ano", adiantou. 



Envie seu Comentário

Este material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído.
Copyright 2014 © O Liberdade - Todos os direitos reservados. By Bimboo Software

Expediente | Anunciar no site | Trabalhe Conosco | Reportar Erro