O Liberdade

Previsão do Tempo

Campo Grande
+29°C
Grupo Liberdade
Domingo, 25 de junho de 2017
 
19/05/2017 11h37 - Atualizado em 19/05/2017 11h37

Com Indústria Sem Fronteiras, empresários de três Estados querem investir em Ponta Porã

Da redação
 
 

O projeto Indústria Sem Fronteiras, lançado pela Fiems no dia 21 de março deste ano para divulgar o potencial econômico dos municípios da faixa de fronteira de Mato Grosso do Sul com o Paraguai para virtuais investidores de todo o Brasil, começa a render frutos. De nenhuma indústria, Ponta Porã, vizinha da cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero, poderá ter cinco, segundo anunciou o prefeito Hélio Peluffo, explicando que todas elas estão interessadas nos mecanismos e vantagens competitivas do programa Fomentar Fronteiras, do Governo do Estado.

Conforme Pellufo, está em curso negociação com investidores de Santa Catarina, Ceará e Goiás. "Empresas de todo o País têm nos procurado e a Fiems, em parceria com o Governo do Estado, por meio do secretário Jaime Verruck (Semagro), encaminham técnicos que dão todo suporte e orientação para esses empresários entenderem como funciona o programa e quais os benefícios. Já tivemos uma conversa inicial com as empresas de Santa Catarina, a Dekx, que produz fibras para concreto, a Sul Cordas, indústria de cordas, e a Total Pet, comércio de embalagens, uma do Ceará, a Plast Plus, também da área de embalagens, e a Regra Cordas, de Goiás, e estão previstas reuniões com empresários de São Paulo", contou.

Os investidores tomaram conhecimento da oportunidade na região fronteiriça sul-mato-grossense por meio do guia do Indústria Sem Fronteiras, distribuído por todas as federações das indústrias do País. Esse guia contém todas informações que o empresário precisa saber sobre os mecanismos do programa Fomentar Fronteiras, criado por meio do Decreto Estadual nº 14.090/2014, e da chamada Lei de Maquila, do governo do Paraguai. Ambos tratam dos benefícios fiscais obtidos com a instalação de uma espécie de filial da empresa no Paraguai, desde que a sede seja mantida em Mato Grosso do Sul.

Para o presidente da Fiems, Sérgio Longen, o amplo interesse dos empresários de todo o País pela fronteira sul-mato-grossense com o Paraguai demonstra o acerto do Indústria Sem Fronteiras e vai ao encontro do que busca a Federação. "Nosso objetivo sempre foi a industrialização e desenvolvimento do Estado, primando pela geração de emprego e renda. Entendemos que esse avanço do Indústria Sem Fronteiras na cidade de Ponta Porã é só o começo porque muitas cidades da fronteira sul-mato-grossense ainda alcançarão o sonho, antes para muitos impensável, de ver empresas em pleno funcionamento. Conseguimos também proporcionar aos empresários brasileiros oportunidades, uma forma de sair crise, sem passar por um processo traumático de demissões ou chegar ao ponto de fechar as portas", analisou.

O prefeito Helio Peluffo lembrou, ainda, que quando foi lançado o Indústria Sem Fronteiras foi alvo de críticas que, na avaliação dele, são infundadas e proferidas por quem não conhece a realidade da fronteira. "Temos que agradecer o trabalho que a Fiems tem dedicado à industrialização da fronteira. O Indústria Sem Fronteiras foi criticado por pessoas que não conhecem a região ou anseios, sem ter ido nos ouvir. O projeto tem o apoio da população de Ponta Porã, por causa dele, pela primeira vez temos empresas de outros Estados interessadas na nossa cidade. As empresas não estão fugindo de Mato Grosso do Sul, muito pelo contrário, estão buscando alternativas para que possam sobreviver a um País onde o Governo é muito pesado ao empresário", concluiu.



Envie seu Comentário

Este material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído.
Copyright 2014 © O Liberdade - Todos os direitos reservados. By Bimboo Software

Expediente | Anunciar no site | Trabalhe Conosco | Reportar Erro