O Liberdade

Previsão do Tempo

Campo Grande
+29°C
Grupo Liberdade
Domingo, 09 de dezembro de 2018
 
05/11/2018 08h38 - Atualizado em 05/11/2018 08h38

13º pode ser usado para pagar credores judiciais, recomenda juiz

Da redação
 
 

Entre os dias 5 e 9 de novembro, o Poder Judiciário de Mato Grosso do Sul participa de mais uma edição da Semana da Conciliação. Pela proximidade do final do ano, o juiz da 1ª Vara Cível da comarca de Corumbá, Maurício Cleber Miglioranzi Santos, recomenda que as partes que participarem das audiências conciliatórias aproveitem o recebimento do 13ª salário para quitar pendências, como a de dívidas de pensão alimentícia. A ação conciliatória acontece em todas as comarcas de MS e estão pautadas mais de 7 mil audiências.

Em Corumbá, foram agendadas 191 audiências que se realizarão nas Varas e no Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejuscs) da comarca local. Na 1ª Vara Cível, onde atua o juiz Maurício Miglioranzi, foram pautados 67 processos de competência de Direito de Família, em que parcela expressiva é relacionada a execução de alimentos. O magistrado explica que o não pagamento enseja uma das hipóteses de prisão civil e por isso destaca a importância de uma conciliação.

"É a oportunidade que as partes possuem em decidirem, de forma autônoma, o futuro do processo, sem dependerem dos recursos e do desgaste natural inerente a cada processo", disse Miglioranzi, que também é o coordenador do Cejusc local.

O magistrado acredita que os devedores de alimento, para evitarem um mal maior, de serem presos por inadimplemento, podem usar o dinheiro do 13º salário para quitar as dívidas. "Com a chegada do final do ano, o 13º salário oferece uma perspectiva de quitação das pendências. Neste caso, pode se agendar o pagamento para o alimentando para o dia em que a verba trabalhista for creditada em conta. Esta é uma boa forma de apresentar uma proposta de acordo durante a Semana da Conciliação deste ano", orienta o magistrado.

Todas as audiências deste ano foram agendadas para o fórum local. É oportuno que as partes busquem informações sobre seus processos e compareçam pessoalmente (ou por meio de advogado) para esclarecimentos. Por questão de sigilo, não são prestadas informações processuais por telefone.



Envie seu Comentário

Este material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído.
Copyright 2014 © O Liberdade - Todos os direitos reservados. By Bimboo Software

Expediente | Anunciar no site | Trabalhe Conosco | Reportar Erro