O Liberdade

Previsão do Tempo

Campo Grande
+29°C
Grupo Liberdade
Domingo, 20 de janeiro de 2019
 
10/10/2018 16h14 - Atualizado em 10/10/2018 16h14

Natal e Ano Novo devem gerar 2,1 mil empregos temporários no comércio da Capital

Andre Farinha
 
 

As vendas no comércio central e nos shoppings centers de Campo Grande durante o período natalino e de ano novo devem promover a contratação temporária de 2.100 pessoas. A estimativa foi apresentada nesta semana pela Federação do Comércio (Fecomércio/MS), através do seu instituto de pesquisa, que indicou a possibilidade da oferta de vagas tendo em vista o período mais esperado do comércio. Em todo o Estado deverão ser abertas 5.200 oportunidades de trabalho temporário, 3,5% a mais que no ano anterior.

Conforme o estudo, no Natal e o ano novo costumam aumentar, significativamente, as compras de presentes, alimentos, pacotes de viagens, além de vistas e confraternizações familiares. "Vale ressaltar que mesmo no momento de uma gradativa recuperação econômica, os laços afetivos sobressaem.", cita a pesquisa.

Ainda segundo a pesquisa, essa contratação de temporários corresponde a um percentual entre 10% e 15% do número de funcionários de cada estabelecimento. Lojas de médio e grande porte, ou que funcionam em rede, tendem a contratar de 10 a 15 funcionários. Lojas menores de 1 a 3.

O estudo cita que em 2018, de acordo com os dados da intenção de consumo das famílias, há um maior percentual de pessoas que indagaram estar comprando mais em relação ao ano passado, esse percentual superou 20% e, em 2017, tal indicador não ultrapassou 16,5% da população.

Outro ponto que pode ser considerado é a redução da inadimplência e do número de pessoas com contas em atraso e, consequentemente a recuperação do crédito, facilitando com isso o pagamento de possíveis aquisições. A Fecomércio ainda não realizou a pesquisa de intensão de compras para o período natalino.

Por outro lado, a entidade ressalta que existem fatores que podem contribuir para uma negatividade empresarial para com as vendas de fim de ano, tais como as eleições nacionais e as obras da Rua 14 de Julho, além do alto número de pessoas desempregadas.

Quanto às obras no centro da cidade, a Fecomércio ressaltou que 79% daqueles que comprarão presentes para o dia das crianças (12 de Outubro) preferirão a região central. Isto porque, segundo o estudo, os consumidores associam a região central a preços mais acessíveis. As lojas dos Shoppings também poderão aproveitar a oportunidade, pois além do preço, a divulgação, atendimento e qualidade tendem a serem elementos decisivos no momento da compra.

"Este ano estamos prevendo a inclusão do trabalho intermitente, possível de contratação após a Reforma Trabalhista. Acreditamos que as lojas âncoras, supermercados e similares podem ser beneficiados com essa nova modalidade", afirma o presidente do Sistema Comércio, Edison Araújo. "Mas vale ressaltar que, mesmo com projeção favorável, devemos observar o impacto que as eleições e as obras do Reviva Campo Grande podem ter sobre a efetividade desse leve crescimento nas contratações", completou.



Envie seu Comentário

Este material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído.
Copyright 2014 © O Liberdade - Todos os direitos reservados. By Bimboo Software

Expediente | Anunciar no site | Trabalhe Conosco | Reportar Erro